Imóveis especiais

Como comprar um apartamento? Documentos necessários e mais

/
6 0
Tempo de leitura: 9 min

Você pensa em comprar um apartamento para ter uma vida confortável junto a sua família? A realização desse sonho deve ser um dos momentos mais importantes da sua vida, por isso, é preciso ter consciência de que comprar um imóvel requer muita responsabilidade e planejamento para que o negócio seja sustentável e seguro.

Antes de assinar o contrato, vale a pena conhecer passo a passo do processo de compra para tirar todas as dúvidas, identificar deveres e direitos e evitar sérios problemas futuros.

Pensando nisso, mostraremos a você o que precisa para comprar um apartamento — como planejamento financeiro, pesquisa de mercado, análise da forma de pagamento, avaliação do imóvel, documentação, taxas — e algumas dicas de cuidados. Confira!

Planejamento financeiro

O primeiro passo rumo à compra de um apartamento é a organização das finanças da família. Tenha em mente o valor aproximado do imóvel que deseja adquirir. O ideal é ter a quantia total poupada para conseguir uma boa negociação, fazer o pagamento à vista e evitar juros.

Porém, essa não é a realidade da grande maioria. Caso você não tenha conseguido poupar o valor do imóvel ao longo dos anos antes da compra, é possível fazer um financiamento e pagar o investimento em parcelas.

Nessa hora, é preciso cautela para calcular os juros, analisar se as parcelas são crescentes ou decrescentes, se elas cabem no seu orçamento mensal sem comprometer a vida financeira da família e quantos anos serão necessários para quitar a dívida.

Diante dessas definições, procure traçar um plano para arcar com o compromisso do pagamento das parcelas, considerando, também, imprevistos que podem surgir ao longo dos anos. Organize os gastos mensais em uma planilha para visualizar o que deve ser cortado e defina como a família pode aumentar a receita, caso for necessário.

Simulação

Mesmo com as contas mensais organizadas, caso você escolha fazer um financiamento ou consórcio, vale a pena simular sua futura realidade financeira. Se ficar determinado que a parcela equivalerá a 10% ou 20% da sua renda líquida mensal, faça o seguinte teste: viva por alguns meses com o orçamento reduzido nessa proporção antes de fechar o negócio.

Assim, você experimentará a realidade financeira que está programando para o futuro e poderá se adequar sem grandes traumas e mudanças drásticas. Caso não consiga se adaptar, ainda estará em tempo de mudar os planos, procurar um investimento menor ou uma forma de pagamento mais adequada.

Pesquisas de imóveis

Atualmente, o mercado imobiliário oferece milhares de opções para atender a todos os gostos e bolsos. É possível encontrar desde apartamentos compactos e econômicos até os mais grandiosos e luxuosos possíveis. Assim, é de extrema importância conhecer todas as possibilidades.

Uma boa pesquisa sempre estará na lista do que precisa para comprar um apartamento. Portanto, antes de fechar qualquer negócio, faça buscas on-line e visite diferentes apartamentos pessoalmente.

Nesse processo, você poderá comparar aspectos como localização, qualidade da construção e do acabamento, preço e formas de pagamento para descobrir a opção que melhor atenda suas expectativas.

Avaliação e escolha do imóvel ideal

A avaliação do apartamento precisa ser minuciosa para que não haja surpresas negativas, como um defeito estrutural ou problema burocrático após o fechamento do negócio.

Itens importantes que ajudam na escolha do imóvel são: idoneidade e reputação da construtora, orientação do sol, rede elétrica e hidráulica, condições das portas e janelas, qualidade da pintura e do acabamento, tamanho e quantidade de dormitórios, serviços disponíveis no condomínio, vagas na garagem, iluminação e ventilação dos cômodos, acessibilidade e locomoção.

Para que a avaliação seja completa e não deixe dúvidas, vale visitar o imóvel em diferentes horários do dia e levar profissionais especializados para que façam a verificação técnica necessária em instalações como rede elétrica e hidráulica.

Análise da localização

Além das condições do apartamento, é necessário considerar a sua localização. Isso significa estudar o bairro em que ele está situado, as vias de acesso mais próximas, os pontos de transporte público disponíveis, a presença de comércio nas redondezas (farmácia e supermercado, por exemplo) e o perfil da vizinhança.

Para fazer a escolha certa, liste os seus objetivos e prioridades. Caso defina que precisa morar perto do trabalho, de parentes, em um bairro agitado ou tranquilo, comece a busca pela localização a partir desses levantamentos.

Definição da forma de pagamento

Depois que a pesquisa de mercado, a avaliação e a escolha do imóvel forem concluídas, é hora de definir a melhor forma de pagamento do apartamento. Se você foi um ótimo poupador e conseguiu guardar o valor total do investimento, o pagamento à vista é a melhor opção para fugir dos juros e conseguir o melhor preço.

Porém, caso não tenha acumulado o valor do imóvel com antecedência, é possível optar por um financiamento. Quanto maior o valor de entrada, menores serão as parcelas e em menos tempo você conseguirá quitar o imóvel. Segundo economistas, o ideal é que a parcela comprometa somente 20% da renda líquida.

A escolha da instituição financeira também é relevante para garantir melhores condições de pagamento. Compare a taxa de juros e também o Custo Efetivo Total (CET) do crédito que engloba todas as despesas do financiamento, como seguros e taxas administrativas cobradas pelo banco.

Também fique atento ao tempo do financiamento, que não deve ultrapassar 360 meses. Além desse período, a queda na parcela é irrelevante e não justifica o aumento do prazo para quitação.

Outra forma de pagamento é o consórcio de imóveis, em que o investimento total do apartamento pretendido ou somente o valor da entrada é dividido em parcelas. Porém, existe a chance mensal de você ser contemplado com a carta de crédito.

Após a contemplação, o consumidor passa por uma análise de crédito e pode comprar seu apartamento novo ou usado. Antes de escolher entre um consórcio ou financiamento, procure um consultor financeiro que esclarecerá todas as taxas, juros, vantagens e desvantagens de cada alternativa. 

Documentação necessária para comprar um apartamento:

As instituições financeiras que concedem o crédito geralmente exigem a seguinte documentação:

  • Cópia da Carteira Nacional de Habilitação (CNH) ou do Registro Geral (RG) e Cadastro de Pessoa Física (CPF);

  • Certidão de nascimento ou casamento;

  • Holerite de pagamento dos últimos três meses;

  • Comprovante de residência, mesmo que estiver em um imóvel alugado;

  • Declaração do Imposto de Renda (IR) do último ano.

Vale destacar que, se a pessoa que solicitou o financiamento para comprar apartamento for casada, seu cônjuge deverá apresentar a mesma documentação.

Também são necessários alguns documentos do imóvel para efetuar a compra. Todos devem ser providenciados e analisados com atenção para garantir que o imóvel está apto para a venda, sem dívidas ou problemas atrelados.

Se o apartamento for usado, é preciso:

  • Matrícula atualizada expedida em cartório de registro de imóveis que comprova se o apartamento está sofrendo alguma ação, se apresenta ônus ou contrato de locação, além de apresentar todo o histórico do imóvel;

  • IPTU que pode ser obtido na prefeitura e comprova a situação fiscal do imóvel;

  • Habite-se que também é emitido pela prefeitura e certifica que o apartamento é habitável;

  • Declaração de Negativa de Débito que pode ser solicitada ao síndico para comprovar que todas as cobranças de condomínio, água e luz estão quitadas;

  • Averbação do imóvel, que deve ser feita no Cartório de Registro de Imóvel;

  • Planta aprovada pela Prefeitura e assinada pelo Arquiteto ou Engenheiro responsável pela obra, com número do CREA.

Se o imóvel for novo, alguns documentos são dispensáveis, como a Declaração de Negativa de Débito. Porém, caso o apartamento estiver em inventário, os seguintes documentos também são necessários:

  • Autorização do Ministério Público para a venda do imóvel caso haja herdeiros com menos de 18 anos;

  • Cópia autenticada do atestado de óbito;

  • Cópia autenticada Formal da partilha;

  • Certidão negativa vintenária de ônus reais.

Pagamento de taxas

Após fechar o negócio, também será necessário pagar algumas taxas para manter a documentação em dia, legalizar e registrar o imóvel em cartório. São elas:

  • Imposto de Transmissão de Bens Imóveis (ITBI) que corresponde a 2% do valor venal da propriedade e precisa ser pago antes da mudança para o imóvel;

  • Registro, que é o documento que comprova que o apartamento pertence a você.

Reserve um montante para realizar reformas pequenas, já que a maioria dos apartamentos são entregues com elementos básicos de acabamento. Também separe uma quantia para a mudança, que pode envolver carretos.

Assinatura do contrato

Por fim, antes de assinar o contrato de compra, é muito importante contar com um advogado experiente que possa ler atentamente todas as cláusulas e avaliar se os termos condizem com a negociação. Nunca assine o documento sem que ele tenha sido avaliado por um profissional qualificado.

Agora você já sabe o que precisa para comprar um apartamento! Diante de tantas etapas e burocracia, é muito importante contar com uma imobiliária de confiança e com boa reputação no mercado para orientar o processo de aquisição.

Com a assessoria de uma imobiliária você evitará problemas futuros e fará a negociação de forma segura e tranquila. Entre em contato conosco e confira as melhores opções de apartamentos em São Paulo, Itu, Bragança Paulista, Indaiatuba e Porto Feliz. Nossa cultura de serviço é focada no cliente e combina experiência, seriedade e ética para melhor satisfazê-lo!

Posts Relacionados
/

Você pensa em comprar um apartamento para ter uma vida confortável junto a sua família?…

/

Você pensa em comprar um apartamento para ter uma vida confortável junto a sua família?…

Deixe um comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado.

Scroll Up