Imóveis especiais

Como financiar um apartamento e quais os documentos necessários?

/
6 0
Tempo de leitura: 9 min

O financiamento é uma das maneiras mais acessíveis para as pessoas conseguirem realizar o sonho da casa própria. O processo para se conseguir esse crédito imobiliário envolve burocracia e uma juntada de documentos, em que os bancos analisam muitos critérios para liberar o empréstimo. Porém, muita gente ainda não sabe como financiar um apartamento.

Existem muitas empresas, como as imobiliárias, que acompanham o comprador nesse processo, auxiliando em toda essa burocracia, mostrando os melhores apartamentos para o cliente de acordo com as necessidades dele e o ajudam também durante todo o processo de negociação de compra e venda.

Se você pretende fazer um financiamento imobiliário para adquirir o seu apartamento, mas não sabe por onde começar, continue por aqui e veja um pouco mais sobre o assunto, bem como algumas práticas que podem te ajudar nesse processo.

Afinal, o que é um financiamento imobiliário?

Primeiramente, vale à pena destacar que essa modalidade de pagamento é uma excelente forma para as pessoas adquirirem seu apartamento próprio, visto que ele pode ser usado para comprar apartamentos novos, usados, ou até mesmo aqueles que estão na planta ainda, como uma promessa de algo que ainda vai ser construído. Ele permite que pessoas de média e baixa renda realizem o sonho da casa própria.

Um financiamento imobiliário consiste, basicamente, em um pagamento parcelado do seu imóvel. O comprador que busca adquirir esse bem, procura por uma instituição financeira e solicita o crédito imobiliário. Após um processo burocrático rígido, o banco libera esse empréstimo para quitar o imóvel.

Depois a pessoa negocia as parcelas e o tempo de pagamento para quitar a dívida com o banco. É possível que o comprador simule, juntamente à instituição, o número de parcelas para pagar, opte por um método de amortização da dívida e conheça as taxas de juros que estarão inclusas nas prestações do financiamento, bem como o tempo de duração desse serviço.

Como o financiamento imobiliário funciona?

Como já foi dito, para realizar esse financiamento é necessário procurar um banco que ofereça esse tipo de serviço e faça a solicitação da carta de crédito. A instituição vai solicitar alguns documentos para comprovar a renda familiar, para mostrar que será possível pagar o valor do imóvel, entre outros critérios.

Após a entrega de todos os documentos, o banco vai fazer uma avaliação para aprovar o financiamento. Depois da liberação do crédito, a instituição avalia o preço do imóvel para confirmar o valor a ser financiado. Também é feita a solicitação de uma entrada, que geralmente é cerca de 30% do valor do apartamento.

Mas, é importante ressaltar que essa porcentagem da entrada depende muito do banco que estiver fazendo o financiamento, uma vez que existem lugares que possibilitam ao comprador financiar 100% do valor do imóvel, caso for comprovado que a família é de baixa renda.

Aqui no Brasil, uma das instituições mais procuradas para esse tipo de serviço é a Caixa Econômica Federal, por conta da forma que ela oferece o serviço com taxas de juros mais baixas e boas opções de pagamento oferecidas para os clientes, bem como financiar o imóvel por muito tempo. O Programa Minha Casa Minha Vida também está presente na CEF, que oferece várias opções para família de baixa renda.

Como financiar um apartamento?

Quais os documentos necessários?

Em um primeiro momento, o comprador deve separar uma série de documentos para apresentar à instituição, sendo eles:

  • Documento de identificação (original e cópia);
  • CPF – Cadastro de Pessoa Física (original e cópia);
  • Comprovante de renda (extratos bancários, contracheques etc.);
  • Última declaração do imposto de renda junto com o recibo emitido pela Receita Federal;
  • Carteira de Trabalho;
  • Certidão de Nascimento ou Casamento para comprovação do estado civil.
  • Certidão Conjunta Negativa de Débitos relativos a Tributos Federais e Dívida Ativa da União;
  • Certidão Conjunta Positiva com Efeito de Negativa de Débitos relativos a Tributos Federais e Dívida Ativa da União.

Trabalhadores autônomos podem fazer a comprovação de renda por meio do contrato de prestação de serviços, declaração do sindicato da categoria ao qual a profissão dele pertence, recibos de recebimento pelos trabalhos prestados ou até mesmo uma Decore (Declaração Comprobatória de Recepção de Rendimentos), feita pelo contador, além da declaração de Imposto de Renda.

Para as pessoas que não tem conta em banco, é possível preencher uma ficha de cadastro sob uma orientação do gerente, que vai informar e auxiliar o comprador em cada etapa do financiamento e documentação necessária.

Para evitar problemas com todos esses documentos que foram citados, verifique se está tudo de acordo antes de fazer a solicitação, de modo que a sua solicitação não seja barrada e você não consiga a liberação do crédito imobiliário.

Qual instituição financeira escolher?

Uma boa dica é optar por um banco que você já tenha conta e que ofereça esse tipo de serviço, visto que você já estará acostumado com o gerente, como o andamento do atendimento do banco, dentre outros fatores que farão esse processo ficar mais facilitado.

Opte também por uma instituição que ofereça as melhores formas de pagamento, com taxas de juros mais baixos, ou programas de habitação como o Minha Casa Minha Vida. Dessa forma, uma ótima opção é realizar esse tipo de serviço com a Caixa Econômica, que presta excelentes serviços a respeito dessa modalidade.

Como escolher o imóvel ideal?

A escolha do imóvel acaba sendo uma questão um pouco difícil por conta das diversas opção que existem no mercado imobiliário. As pessoas ficam na dúvida sobre escolher um bem novo ou um seminovo, assim como um imóvel na planta. Dessa forma, há pontos positivos a serem analisados pelo cliente.

Um imóvel é um bem que vai valorizando constantemente. Um apartamento novo, se for bem localizado, com o tempo vai ganhando mais valor de mercado. Além de ter tudo de mais novo composto em sua construção, bem como materiais de qualidade, estão em bom estado de conservação, com itens mais modernos, dentre outras vantagens.

O apartamento na planta acaba sendo bastante vantajoso também, pois ele não começou a ser construído. Quando for feita a entrega das chaves, o financiamento pode estar quase no fim ou com o pagamento bem adiantado, sendo um ótimo investimento. Um imóvel na planta também permite que o comprador faça o projeto de acabamento ao final da construção.

Os apartamentos antigos são bem maiores que os atuais, e trazem a vantagem de que você já consegue se mudar com mais rapidez para a casa nova. Você trata diretamente com o proprietário, podendo negociar o pagamento de outras formas além do financiamento.

É importante que na escolha do imóvel, o comprador escolha algo que atenda às necessidades de todos da família, a respeito do número de cômodos, do tamanho do apartamento, da proximidades com lugares ligados ao cotidiano da família, etc.

E como escolher o melhor tipo de financiamento?

Para realizar o financiamento, existem dois tipos de sistemas de amortização de crédito. sendo a Tabela Price ou Tabela SAC (Sistema de Amortização Constante). São essas duas tabelas que definem como a dívida do imóvel será quitado com o banco.

Na Tabela Price as parcelas são iguais do início ao fim da amortização, uma vez que é feita uma distribuição dos juros ao longo das prestações, sendo divididos igualmente em todas as parcelas. Em algum momento, os juros serão maiores que a parcela do imóvel a ser amortizada e vice-versa.

Já na Tabela SAC, o valor da amortização é sempre o mesmo, tendo sempre uma alteração somente no valor dos juros, que ao longo do tempo pode ir diminuindo. Ou seja, vai acontecendo uma amortização constante, com diminuição dos juros, o que acaba reduzindo também a prestação.

É possível ainda utilizar de alguns recursos como o FGTS (Fundo de Garantia do Tempo de Serviço) para quitar parte do financiamento, em que podem participar pessoas que tenham até certa renda familiar, variando de acordo com a região do país.

Existe a opção de fazer o financiamento direto com a construtora, em que as condições variam de uma para outra. Também é possível fazer o financiamento pelo SBPE (Sistema Brasileiro de Poupança e Empréstimo) onde não há limite de renda.

Como funciona para fazer uma simulação?

A simulação das parcelas de financiamento é um serviço realizado pelas instituições financeiras antes de fechar o contrato. Para simular, o banco se baseia em informações de imóveis e nos dados oferecidos pelo comprador. Essa simulação vai mostrar:

  • Valor máximo que pode ser financiado;
  • Valor inicial da parcela que você vai pagar;
  • Os valores das demais parcelas;
  • Taxa de juros acrescida no financiamento;
  • Quantidade máxima de parcelas permitidas.

Por fim, vale ressaltar que durante todo esse processo se faz necessário estar acompanhado de uma empresa de confiança para te ajudar. As imobiliárias que atuam diretamente nesse mercado traz profissionais capacitados e especializados nesse tipo de serviço. Eles vão te acompanhar, ajudar nas negociações e ver toda a parte burocrática e mais complicada da compra e venda.

Uma empresa de confiança também vai oferecer uma assessoria jurídica para garantir que todos os seus direitos sejam preservados, para que todas as partes do contrato saiam beneficiadas, e também para que não ocorra nenhum problema durante o financiamento.

Gostou de aprender um pouco mais sobre como financiar um apartamento? Acha que essas informações podem te ajudar? Então entre em contato com a nossa empresa que iremos te ajudar naquilo que você precisar!

Posts Relacionados
/

O financiamento é uma das maneiras mais acessíveis para as pessoas conseguirem realizar o sonho…

/

O financiamento é uma das maneiras mais acessíveis para as pessoas conseguirem realizar o sonho…

Deixe um comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado.

Scroll Up